quinta-feira, 5 de junho de 2014

Liberdade Maternal



Por Jessica Campbell
Tradução Ruth F. Byrnes

Eu já tinha terminado três cargas de roupa, e esfrguei e limpei a cozinha. Então decidi levar meus dois filhos pequenos para a cidade, almoçar juntos, parar e comprar a estação na correios, e pegar poucos itens no caminho de casa.

Eu não aceitei isto facilmente. Eu penso sobre a minha liberdade. Liberdade de escolha - para ensinar, para trabalhar, para ir livremente aqui e ali, etc.

Mas espere, eu pensei que nós dona-de-casas deveriam ser oprimidas! O que é uma mentira triste que o inimigo semeou! Não há realmente nenhuma maior libertação do que ser um guardadora  em casa. Eu não estou amarrada a uma lista de programação exigente ou uma lista de verificação de uma empresa mandando em mim e tendo a certeza que eu faço o trabalho com precisão.

Sim, eu ainda tenho a meu marido para cuidar e servir, mas ele confia em mim, porque, como a mulher Provérbio 31, eu só lhe faço o  bem e não mal, todos os dias da minha vida! Ele sabe disso e com o seu líderança, eu sou livre para ser eu mesma.

Ele amorosamente lidera-me e encoraja-me  na maternidade e o fruto piedoso é  paz, alegria, e harmonia em casa. Eu sou muito agradecida por este chamado dado a mim.

Alguns dias são super ocupados. Outros dias são mais relaxados quano eu posso pegar as crianças para um passeio por caminhos diferentes, parar para um pic-nic, ou jogar no parque. As chances não são limitadas. Eu sou livre para escolher.

A vida é muito curta para deixar as horas, dias, e anos escaparem. Por isso eu digo a mãe se sentindo um pouco sobrecarregado e fora de si. “Desfrute sua liberação. Pare, respire, sorria, e vá fazer alguma coisa boa ou aventurosa. Esta é sua liberdade.

Desfrute hoje e todas as suas possibilidades. Janelas do carro abertas, refrescante brisa, e sua cabelo voando! Saboreie a LIBERDADE.

Fonte: Revista Above Rubies, May 2014, no. 89, pag. 5

Sem comentários:

Enviar um comentário