sábado, 4 de julho de 2015

Tres Ancoras




Por Phil McCollum
Tradução Ruth Ferraz Byrnes


Casamento é uma maravilhosa benção ordenada por Deus, mas quando imperfeições humanas entram nesta relação, os mares do casamento as vezes tornam-se  tempestades. Depois de ser casada por mais de vinte anos com minha maravilhosa  esposa, Elaine, Deus tem ensinado me ‘tres ancoras” para manter-nos longe da tempestade que estava nos agitando.

Contrato Vinculativo

A primeira ancora é o contrato vinculativo que nos fazemos com Deus quando pronunciamos nossos votos na cerimonia de casamento. No altar nós declaramos que nós permaneceriamos casados por melhor ou pior, na riqueza ou pobreza, na doença ou na saúde, até a morte nos separasse.
Você já imaginou quantas pessoas só ouvem a parte de “melhor, riqueza, e saude”. Quando a vida tornasse uma tempestade com onde de “pior, pobreza e doença”,  tantos casais acabam sem considar a magnitude do contrato de casamento. Deus diz que Ele espera que nos cumpramos nossos votos, e que ele é melhor fazer um voto do que quebrar com Ele (Eclesiastico 5.4-6).  O poder nesta ancora é que uma vez nos assentamos em nossas mentes que nós estamos verdadeiramente comprometidos para o melhor ou o pior, e que nos estamos determinados a perseverar até o fim, então focar em consertar nosso casamento e melhor do que terminar ele.

O Inimigo Não é o meu Esposo

A segunda ancora é o entendimento que o inimigo não é o meu esposo. Quando nos estamos infelizes, é fácil acusar a pessoa mais perto de nós por nossas infelicidades. A Biblia diz nos em Efesios 6.12 que nossa batalha não é contra a carne e sangue, mas contra forças espirituais. Há um inimigo espitirual que procura roubar, matar e destruir nosso casamento (John 10.10). Se o inimigo pode influenciar maridos e esposas para se tornar um contra o outra, ele mina  nosso testemunho para o mundo, interfere com orações respondidas, e efetivamente enfraquece o corpo de crente.
Muitos anos atrás, minha esposa e eu estavamos envolvidos em um momento de “intensa amizade” (como um de meus amigos disse). Minha pobre esposa olhou para  mim como se eu tinha perdido minha mente! Depois que eu acalmei, eu nao podia crer que eu tinha dobrado tanto a minha forma. Mas tarde eu entendi que o inimigo estava tentando manter eu e Elaine afastados de um benção particular que Deus estava para nós revelar.

Amar sacrificialmente

A terceira, e provavelmente a mais importante ancora é aprender amar sacrificialmente, como Jesus amou a igreja. Todo amor envolve sacrificio. Leia esta sentença novamente. Nos vivemos em um mundo narcissistico que encoraja o egoismo, mas verdadeiramente felizes relações precisam de sacrificio. Eu tenho ouvido Collin Campbell frequentemente falar, “Casamento é um teste de vida-propria”. Isto é verdade! Casamento revela nossa condição espiritual. Fortunadamente, nos podemos mudar. Nos podemos tornar mais como nosso Salvador, que estava desejando lavar a sujeira dos pés de Seus discipulos. Um pequeno sacrificio (uma massagem no pé, uma comida favorita, um cartão, uma ligação telefonica) podem ir um longo caminho sobre acalmar uma tempestade na relação. Nós queremos que Jesus seja misericordioso conosco; nós devemos ser misericordioso com nosso conjuge.
O Presidente Theodoro Roosevel tem o credito do seguinte slogan: “Nada no mundo é valioso ter ou fazer a menos que ele signifique esforço, dor, dificuldade”. Um bom casamento é valioso ter! Ele é valioso esforço, dor, e dificuldade! Elaine e eu oramos que estes “ancoras”  que tem nos ajudado abençoarão seu casamento também.


Fonte: Revista Above Rubies, Março, 2015, pg. 91.

Sem comentários:

Enviar um comentário