terça-feira, 11 de junho de 2013

Salsinha, tonifica o corpo e dá sabor a comida


 
Por Ruth Ferraz

Aqui vamos descrever mais uma dadiva do Criador para nós enriquecer. A salsinha é originaria da bacia mediterranea. Seu uso remonta há mais de dois mil anos. Os gregos antigos diziam quando alguem estava para morrer: “esta pessoa precisando usar salsa”. Os romanos, primeiros a usa-lá em alta escala, a colocavam nos pratos, inclusive para evitar contaminações e intoxicações. Foi levada para o Novo Nundo no século XVII, onde se tornou bastante popular o uso na culinária.[...]

Benefícios e precauções

O sumo da salsa fresca é rico em vitaminas e a sua celulose ajuda o movimento intestinal,cada 200 gramas de salsa contem 6.000 unidades de vitamina B e 200mg de vitamina C. Além de seu largo uso decorativo, a salsinha provê vários benefícios a saúde. É uma boa fonte de antioxidantes (especilmente luteolina),  ácido fólico, vitamina C e A. Dos benefícios à saúde declarados estão: propriedades anti-inflamatorias e melhora no sistema imune.
Tem um  efeito benefico sobre o aparelho digestivo, estimula o apetite e facilita a digestão. É usada para estimular as funções renais e a tradição popular diz que pode ser usada para regularizar o ciclo menstrual. Por sua ação sobre o útero, entretanto, a salsinha não deve ser consumida em excesso por mulheres grávidas. É seguro em quantidades normais de alimento mas, em grandes quantidades pode ter efeito indutor de parto. Deve ser evitada por quem tem inflamação renal.
A salsinha é rica em vitaminas A, B e C, assim como minerais e oligos-elementos como postassio, calcio, fosforo, ferro e magnesio. Ela é ótima para aliviar dores no estômago e eliminar gases do estômago e intestino. Essa hortaliça atua nos distúrbios urinários por ser um diurético natural — que ajuda os vasos sangüíneos a eliminarem o excesso de líquido.

A salsa é também anticancerígena, devido à sua alta concentração de antioxidantes. Ela deve sempre fazer parte das saladas porque atua como um desodorante interno.

O suco da salsa, quando aplicado em gotas, alivia a dor de ouvido. As folhas, em cataplasmas, são antiinflamatórias. E quando usada em forma de tópicos, age como calmante das pálpebras e olhos, desodorante bucal e controlador da oleosidade da pele.

Origem do nome

O nome latino petroselinum deriva da palavra grega PETRA que significa “pedra” ou “rocha” e selinum  que designa as plantas umbeliferas próximas aos aipo. Mas é possivel que o nome evoco o uso medicinal da planta que é que usada contra os calculos dos rins e vesiculas.

Cultivo

É uma planta simples que pode ser plantada em qualquer lugar do jardim e até em vasos. Pode suportar até   40º C negativos. Pode germinar em até 2 ou 3 semanas. A salsa lisa tem mais propriedades do que a frisada.

Utilização

1 colher de sopa supre um terço das necessidades diarias deste alimento. Podemos usa-la picadinha por sobre o alimento que esta no prato que vamos comer, pois quanto mais natural melhor, isto é, sem cozinha-la muito.

Pode ser usada para a decoração da cozinha, colocando-se o maço em um copo com água para ser picada, como mostra a primeira fotos a cima.

As folhas esmagadas acalmam as picadas de insetos e clareiam a tez.

Pode ser mastigada para refrescar o hálito.   

De preferencia deve ser utilizada quando se acaba de picar e não cozida pois o calor destroi as vitaminas. Mas como tem capacidade de suportar o frio abaixo de zero graus Celsius podemos picar todo o maço, colocar num pote plástico ou de vidro e armazenar na geladeira por alguns 3 ou 4 dias. Dizem que suporta até a congelação, mas não vemos necessidade disto, podemos usa-la fresca se a picarmos e colocarmos na geladeira.

Salsinha, é melhor usa-la antes que realmente precisemos, isto é, antes de ficarmos debilitados. Além de rica em nutrientes, ela é saborosa, decora e abre o apetite.
 
Bibliografia:

Sem comentários:

Enviar um comentário