quinta-feira, 20 de junho de 2013

Feminista não, feminina!

Muitas pessoas conhecem este símbolo feminista, reproduzido até hoje por movimentos do gênero… mas na verdade, ele foi um pôster de propaganda do governo americano na II Guerra (que, por sua vez, era uma cópia de um pôster semelhante da União Soviética). Conhecido como Rosie The Riveter [algo como Rosie, a rebitadeira], ele encorajava as mulheres à irem para as fábricas, tomar o lugar dos homens…
 
 
 
 
Mais do que apenas encorajar, ele lançava mão de toda uma estética masculinizante… ao colocar esta mulher colocando os “muques” para fora e arregaçando as mangas, ele foi um dos retratos fiéis da década, pois muitas das mulheres que de fato foram para as fábricas no período da guerra, mal podiam ser distinguidas desta caricatura.

 
 
 
 
A estética masculizante do período só foi quebrada quando Dior lançou o New Look, em 1947. Foi uma realidade muito dura! Li alguns livros e artigos que falavam do assunto, mas nenhum estudava com profundidade a questão das mulheres terem ido para as fábricas… gostaria de saber mais do ponto de vista das que se recusaram, por exemplo. De qualquer forma, estas imagens nos mostram mulheres em atividade nesta época… em uma atividade que nada condiz com a feminilidade!
 
 
 
 
A foto abaixo me deixou repugnada! Olhem só estas mulheres, neste estado deplorável… não parecem apenas homens, parecem homens sem modos! Eu entendo que algumas delas tinham real necessidade de trabalhar neste período, mas elas tinham que ficar reduzidas a isto?? Bem se vê que isto nunca foi lugar para uma mulher – ontem e hoje elas não podem ocupar tais “posições” sem renunciarem a si mesmas.
 
 



Bom, o uniforme desta aqui deixa claro que ela não pegou a roupa emprestada do marido… já estava usando a “calça de mulher”…
 
 



Vejam o vídeo com a musiquinha que tocava, incentivando a perfeita “Rosie”…
Serve para a gente dar uma olhada em como as coisas aconteceram!
 
 
Fonte: http://teusvestidos.wordpress.com/tag/especial-anos-40/

Sem comentários:

Enviar um comentário